Vera Cruz

O município de Vera Cruz está localizado na Ilha de Itaparica, a maior ilha marítima do Brasil, na Baía de Todos os Santos, próximo a Salvador, capital do Estado da Bahia.

mar-grande-capital-de-vera-cruzSol, mar, praia, turismo e lazer são os nossos principais atrativos naturais e atividades econômicas. As principais praias e localidades são: Gamboa, Penha, Gameleira, Barra do Gil, Barra do Pote, Barra Grande, Conceição, Cacha-Prego, Aratuba, Berlinque e Mar Grande, onde fica a sede do município e da rádio.

Nos finais de semana, feriados e principalmente na alta estação do verão todas essas localidades são muito frequentadas por turistas, visitantes e club-med-itaparicaveranistas de Salvador e outras partes da Bahia e do Brasil. Um dos destaques de Vera Cruz é a presença do Club Med, resort pertencente a uma importante rede hoteleira internacional.

grandes-arvores-tomam-as-ruinas-da-igreja-de-nosso-senhor-de-vera-cruz-importante-monumento-de-itaparica-1377261993708_667x500Outro ponto de destaque do município é a Igreja do Nosso Senhor da Vera Cruz, o mais importante Patrimônio Histórico da Ilha de Itaparica. Datada do século XVI, está localizada no povoado do Baiacu.

A imensa diversidade biológica, a flora e a fauna terrestres e marinhas são as grandes riquezas locais. Boa parte da população do município vive tipicamente da pesca. Vera Cruz tem como destaques também o Parque Ecológico do Baiacu e a Área de Proteção Ambiental das Pinaúnas.

Veja fotos das praias e das outras atrações de Vera Cruz e da Ilha de Itaparica na Galeria de Fotos de nosso site.

INFORMAÇÕES SOBRE VERA CRUZ

O município de Vera Cruz foi fundado em 31 de julho de 1962 e apresenta os seguintes dados:

POPULAÇÃO: 37.567 habitantes (IBGE 2010) / 42.650 habitantes (estimativa IBGE 2015)

ÁREA: 299.734 Km2 (75% do território da Ilha de Itaparica)

CLIMA: Tropical

BIOMA: Mata Atlântica

IDH-M: 0,645 (Médio – PNUD 2010)

PIB (per capita): R$ 6.585,11 (IBGE 2010)

Gentílico: vera-cruzense
HISTÓRIA
Os registros históricos sobre a ilha destacam a vinda, em 1510, do navegador português Diogo Álvaro Corrêa, o Caramuru, que enamorado da índia tupinambá Paraguaçu, filha do cacique Taparica, casou-se com ela.
Os índios Tupinambás foram os primeiros habitantes da ilha, daí a origem do seu nome. Conta uma das lendas que Itaparica vem do tupi e significa “cerca feita de pedras”, por causa dos arrecifes que contornam toda a costa da ilha.
A sua ocupação deu-se a partir de um pequeno núcleo de povoamento, fundado por jesuítas, na contracosta em 1560, onde hoje se localiza a vila de Baiacu, então denominada como Vila do Senhor da Vera Cruz. Nesse período, foi nela iniciada a primeira plantação de cana-de-açúcar, assim como a cultura do trigo, tendo recebido os primeiros exemplares de gado bovino.
Foi ainda em Baiacu, que aqueles religiosos fizeram erguer a primeira obra de engenharia hidráulica da colônia: uma barragem para o suprimento de água potável e serviços da povoação; e a primeira igreja da Ilha – segunda matriz do Brasil- sob as bênçãos do Nosso Senhor da Vera Cruz, daí a origem do nome do município.
A riqueza gerada nesse curto espaço de tempo, levou a que corsários ingleses atacassem a ilha já em 1597. Entre os anos de 1600 e 1647, foi invadida pelos holandeses. Durante a última destas invasões, os holandeses chegaram a construir um forte, denominado Forte de São Lourenço.
Em 1763, Itaparica, que era a maior ilha da colônia, chamou a atenção da Coroa, e por conta disso, foi então incorporada aos seus bens.
Os afamados estaleiros da Ilha de Itaparica eram também empório de construções navais da colônia: ali se armou a primeira quilha da Marinha de Guerra no Brasil. Nesta época, também existiam cinco destilarias de aguardente, além das fábricas de cal – nove, em meados do século XIX.
Porém, a maior atividade econômica da ilha foi a pesca da baleia, sobretudo durante os séculos XVII e XVIII, por este fato, antes de chamar Itaparica era conhecida como Arraial da Ponta das Baleias. Neste período, antigos e belíssimos sobrados, existentes até hoje, hospedaram imperadores brasileiros como D. Pedro I e D. Pedro II.
Formação Administrativa

A ilha foi emancipada de Salvador em 8 de agosto de 1833, e elevada à categoria de cidade em 30 de julho de 1962. Posteriormente, o município foi desmembrado em dois: o de Itaparica e o de Vera Cruz, criada pela Lei Estadual nº 1773, de 30/07/1962, publicada no Diário Oficial em 31/07/1962. Possui quatro distritos: Mar Grande, Barra do Gil, Jiribatuba e Cacha Pregos.

Fonte: Prefeitura de Vera Cruz/IBGE